Ponte para Terabítia é inspirada em História Real e você não sabia

Ponte para Terabítia é conhecido como o filme que traumatizou uma legião de pessoas na infância. Afinal, a história começa incrível, segue lindamente por um mundo de fantasia e uma amizade inspiradora, apenas para chocar a audiência com um final que não poderia ser mais trágico. E o maior problema de tudo isso é que, infelizmente, Ponte para Terabítia é baseado em uma história real tão triste quanto.

O filme que tem os pequenos Jess e Leslie como protagonistas é a adaptação do livro de mesmo nome que por sua vez,  foi inspirado em uma história pessoal e dolorosa da própria autora do livro, Katherine Paterson e seu filho David.

A história real por trás de Ponte para Terabítia

Ponte para Terabítia história real

Katherine Paterson encontrou inspiração para sua obra na morte precoce de Lisa Hill, a melhor amiga de seu filho David durante a década de 1970.

David Paterson, assim como Jess Aarons, o protagonista da história, enfrentava sérios problemas de solidão, especialmente na escola, devido a ter um pai ausente e por sua família estar enfrentando desafios financeiros. Foi então que Lisa Hill, uma menina de idade parecida com a dele, se mudou para a cidade e em pouco tempo os dois criaram uma conexão que a tornou não apenas amiga, mas uma verdadeira companheira de jornada.

Segundo Katherine, David e Lisa passavam horas brincando nos fundos de sua casa, imaginando histórias fantásticas (que serviram de inspiração para as passagens cheias de magia do livro e do filme) e brincando na floresta que havia perto da comunidade onde moravam. Em resumo, os dois se tornaram melhores amigos inseparáveis.

Foi então que, em 1974, durante uma viagem para a praia com sua família, Lisa acabou sendo atingida por um raio, que a vitimou instantaneamente. Horas depois do acontecido, Katherine recebeu a ligação onde soube da notícia, e foi quem teve que transmiti-la para o filho.

Segundo a autora, durante meses David e ela se fecharam em um luto profundo pela perda de Lisa. Nesse contexto de incompreensão pela morte tão precoce e de forma tão abrupta da menina, Ponte para Terabítia nasceu como uma forma de Katherine lidar com a perda e, ao mesmo tempo, oferecer a David um meio de processar a realidade dolorosa.

O livro traz certas diferenças da história real, mas a essência permanece a mesma. No romance, é um afogamento que tira a vida de Leslie e não um raio, como aconteceu com Lisa; a história foi delicadamente posicionada na zona rural da Virgínia. O livro foi dedicado para Lisa, e só foi publicado após David dar permissão a sua mãe.

O verdadeiro “Jesse” roteirizou e produziu o filme

David Paterson cresceu e se tornou dramaturgo e roteirista, e decidiu levar para o cinema a história que havia sido, em parte, sua. Para isso, no entanto, ele precisou lutar contra as sugestões de produtores de Hollywood que queriam mudar o final do filme.

A autenticidade deveria prevalecer, em homenagem não apenas à memória de Lisa Hill, mas à universalidade dos sentimentos de perda e amizade que o livro representava.

Assim, foram necessários 17 anos para que a produção do filme realmente saísse do papel e algum estúdio concordasse em fazer um filme infantil com um final tão trágico, porém, com um significado tão profundo.

Ponte para Terabítia está disponível para assistir na Netflix.

CONFIRA Também: Tudo o que já sabemos sobre Toy Story 5

Aline ResendeFormada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.
Instagram
Fechar