Como Jane de ‘Jane the Virgin” ficou grávida? Aqui está a inusitada explicação

 

A premissa de “Jane the Virgin” deixou os telespectadores perplexos e fascinados com um dos mais singulares pontos de partida para um enredo: uma “gravidez virginal”, mas não de forma divina, e sim por uma confusão médica que vai além da imaginação.

Protagonizada pela talentosa Gina Rodriguez, a série acompanhou a jornada de sua personagem titular, Jane Villanueva, que encontrou-se grávida sem nunca ter tido relações sexuais.

Como Jane ficou grávida sendo virgem?

A história de como Jane Villanueva, a devota e planejada protagonista da série “Jane the Virgin”, encontrou-se em uma situação de gravidez sem precedentes é tão inesperada quanto o título sugere.

Durante uma consulta de rotina com sua ginecologista, a jovem Jane é submetida, por um engano colossal, a uma inseminação artificial. O erro é cometido pela Dra. Luisa Alver, que na ocasião substituía o médico habitual de Jane.

Como Jane de 'Jane the Virgin ficou grávida Aqui está a inusitada explicação

Dra. Alver estava sob efeito de um considerável estresse emocional após descobrir que sua esposa a estava traindo, um fator que certamente contribuiu para que ela confundisse os prontuários de suas pacientes.

Essa troca inacreditável resultou na inseminação de Jane com o esperma de um doador desconhecido, em vez de realizar um simples exame pélvico. A complexidade da situação aumenta quando se revela que o esperma utilizado pertence a Rafael Solano, um homem com significado particular no passado e presente de Jane, além de ser seu chefe no hotel onde ela trabalha.

Após o incidente, Dra. Luisa entende da gravidade de seu erro. Contudo, na esperança de que a gravidez não se desenvolvesse, ela adia a comunicação do ocorrido a Jane.

Para surpresa dela e de todos os envolvidos, Jane fica grávida, conduzindo a séria virada em suas vidas e dando início à uma série de eventos que incorporam comédia, drama e um toque de realismo mágico.

Sobre a série “Jane the Virgin”

Ambientada em Miami e inspirada na telenovela venezuelana “Juana la virgen”, “Jane the Virgin” é uma série que mistura gêneros e estilos narrativos, aprofundando-se em temas universais como família, fé e identidade. A série saiu recentemente da Netflix.

Ao longo de cinco temporadas, de 2014 a 2019, a série foi transmitida pelo canal The CW, e foi recebida com aclamação crítica e adoração dos fãs. Além de render a Gina Rodriguez um Globo de Ouro, “Jane the Virgin” foi celebrada pelo American Film Institute como um dos 10 melhores programas de TV de 2014.

A trama se desdobra envolvendo os espectadores na vida de Jane, seguindo suas decisões profissionais e amorosas, desafios da maternidade imprevista, e a progressão de sua carreira de escritora.

Assim como foca na figura central de Jane, “Jane the Virgin” não se furta de explorar as vivências dos membros de sua família, tratando de questões vitais como imigração, relações de saúde, e o contínuo processo de autodescoberta.

A série, que teve seu final planejado e exibido na quinta temporada, em março de 2019, conseguiu trazer uma história repleta de emoções e acontecimentos inesperados, mas enraizada nos laços afetivos que conectam os personagens.

Alexandre Garcia PeresEditor do Sobre Sagas e Analista de SEO da WebGo/Content. Raramente ri com filmes e prefere muito mais um dramão. Sempre conta os dias pelos próximos filmes do Tarantino, da Pixar e do Studio Ghibli e frequentemente reassiste os mesmos filmes na dúvida do que assistir. Pela formação em Letras, tem pavor de adaptações ruins de livros e sente um leve prazer ao assistir filmes muito ruins, especialmente os que passam na TV aberta. No tempo livre, gosta de tocar violão/guitarra, jogar videogame e brincar com um dos seus 12 gatos.
FacebookLinkedin
Fechar