Viúva Negra | Scarlett Jonhansson processa Disney por estreia no Disney+; estúdio responde alegações

A protagonista de "Viúva Negra" processou a Disney pelo lançamento híbrido do filme; estúdio rebate e diz que não há mérito no processo.

Publicidade

Publicidade

Viúva Negra

Quem acompanhou as notícias que envolviam a escolha de lançar Viúva Negrano formato tradicional ou híbrido sabe que, apesar do modelo utilizado, a questão sempre gerou longos debates por parte da DisneyO filme, que teria seu lançamento internacional em Maio de 2020 nos cinemas, foi adiado por consecutivas vezes até sua estreia oficial, que ocorreu simultaneamente nas salas de exibição e no catálogo da plataforma de streaming Disney+.

Até o inicio de março do ano passado, o CEO da DisneyBob Chapek, continuava informado que o filme seria lançado no modelo tradicional de distribuição. No final do mesmo mês, entretanto, o portal estadunidense Deadline surpreendeu a todos ao revelar que o filme seria lançado no mês de Julho e no formato híbrido, com acesso online através do recurso Premier Access.

Publicidade

A notícia, que certamente foi animadora para os fãs que não poderiam assistir ao longa nos cinemas, deve ter exercido fortes impactos nos setores internos dos estúdios, que se programavam para lançar o filme – e arrecadar com ele – nas salas de exibição. O que nem todos sabiam era que Scarlett Johansson, atriz que interpreta a protagonista nos filmes da Marvel desde 2010, também seria afetada pela decisão.

Publicidade

De acordo com a agência Reuters, a atriz está processando a Disney por quebra de contrato, já que seu lançamento não aconteceu no modelo anteriormente especificado e, por isso, ocorreu uma redução no valor que a atriz receberia, já que este estaria atrelado à arrecadação da bilheteria nos cinemas. A queixa formal foi apresentada pelos representantes da atriz no Tribunal Superior de Los Angeles, que irá julgar os documentos e a pertinência do caso.

Publicidade

Publicidade

De acordo com a agência, a íntegra do processo alega que a Disney queria direcionar o público para o streaming, “onde poderia manter as receitas para si própria e simultaneamente crescer a base de assinantes do Disney+, uma forma comprovada de aumentar as ações da Disney“. Além disso, o documento informa que “a Disney quis desvalorizar substancialmente o contrato de Johansson e, assim, enriquecer”.

A Disney, que não se posicionou oficialmente quando as alegações foram publicadas, soltou um comunicado no final dessa tarde, onde responde as alegações da atriz: “Não há mérito algum nesse processo. O processo é especialmente triste e angustiante em seu desrespeito implacável pelos terríveis e prolongados efeitos globais da pandemia de COVID-19″.

O filme, que já arrecadou mais de US$300 milhões de bilheteria té então, segue em exibição nas salas de cinema do mundo inteiro. Em sua estreia, a Disney  confirmou que o longa quebrou recordes ao arrecadar US$60 milhões através da plataforma de streaming apenas no seu primeiro final de semana de exibição.

Viúva Negra: filme segue arrecadando milhares de dólares nas bilheterias internacionais (Imagem: Divulgação/Marvel).

CONFIRA Também:
“Viúva Negra” bate recordes e é o filme mais pirateado da pandemia

O que você achou da ação movida por Johansson? Compartilhe suas opiniões conosco em nossas redes sociais, e fiquem ligados aqui no Sobre Sagas para mais informações e notícias sobre o processo.

Publicidade

Publicidade

Fonte: Agência Reuters; Variety

Arquiteto e Urbanista pós-graduando em Cenografia. Editor-Chefe e administrador do Sobre Sagas desde 2013. Apaixonado por adaptações cinematográficas, especialmente de fantasia.
FacebookInstagramLinkedin

Deixe seu comentário