Sweet Tooth | O que foi o Grande Flagelo e como surgiram os híbridos?

Descubra aqui o que foi e como aconteceu o Grande Flagelo e também como surgiram os híbridos no universo de Sweet Tooth, série da Netflix baseada nos quadrinhos de Jeff Lemire.

Publicidade

Publicidade

Descubra o que foi o Grande Flagelo e como surgiram os híbridos (Imagem: Reprodução/Netflix | DC Comics)

No começo de junho de 2021, chegou ao catálogo da Netflix a primeira temporada de Sweet Tooth, série de fantasia que adapta os quadrinhos de Jeff Lemire publicados pela Vertigo entre 2009 e 2013. E o enredo da série se constrói a partir de um evento em particular: o Grande Flagelo, que tem uma relação direta com o surgimento dos híbridos.

Nesta matéria do Sobre Sagas, você descobre um pouco mais sobre o que foi o Grande Flagelo e como ele tem relação com o surgimento dos híbridos no universo de Sweet Tooth.

O que foi o Grande Flagelo?

Publicidade

A série Sweet Tooth começa uma década depois do evento conhecido como Grande Flagelo. O evento faz referência ao aparecimento do vírus H5G9, responsável tanto pelo surgimento de crianças híbridas de humanos e animais quanto pela morte de milhares de pessoas, contaminadas pelo vírus. É impossível não traçar um paralelo entre o evento de Sweet Tooth e a atual situação pandêmica em que nos encontramos, com o Covid-19 não apenas causando a morte de milhões de pessoas ao redor do mundo, mas também abrindo espaço para crises humanitárias e políticas.

Publicidade

Em Sweet Tooth, a sociedade também precisa lidar não apenas com o vírus, mas também com os efeitos causados pelo vírus na estrutura de poder. A queda dos governos e das estruturas sociais que existiam até então permitiu que milícias armadas tomassem o poder, ameaçando os sobreviventes e, principalmente, os híbridos. Afinal, muitos passaram a acreditar que os híbridos não eram um efeito do Grande Flagelo, mas sim uma das causas dele. E que, eliminando-se os híbridos, seria possível atingir o âmago do problema.

Publicidade

Publicidade

É o caso, por exemplo, da milícia Últimos Homens, liderada pelo General Abbot (Neil Sandilands), que caça e mata crianças híbridas, consideradas inferiores pelos seus integrantes. Isso faz com que os híbridos vivam reclusos, escondidos do restante da sociedade. Como o protagonista da série, Gus (Christian Convery), criado na floresta pelo pai.

Origem do Grande Flagelo nas HQs

A série da Netflix ainda não abordou a origem do Grande Flagelo. Entretanto, graças aos quadrinhos de Jeff Lemire, já podemos ter uma boa noção do que realmente aconteceu.

Tudo começou com a viagem de um personagem chamado James Thacker, em 1911, ao Alasca. Seu objetivo era simples: encontrar o noivo de sua irmã, Louis Simpson, que havia desaparecido na região havia meses.

Depois de se deparar com diversos corpos no navio em que Louis havia viajado, Thacker encontra o cunhado em uma tribo local, na qual ele passou a viver depois de se apaixonar por uma das habitantes locais. James acaba descobrindo que Louis encontrou uma caverna sagrada, com caixões guardando os corpos de seres considerados deuses mitológicos. Um desses caixões era o do deus da caça, Tekkeitsertok, um híbrido entre humano e cervo.

Representação de Tekkeitsertok nos quadrinhos de Sweet Tooth (Imagem: Reprodução/DC Comics)
Representação de Tekkeitsertok nos quadrinhos de Sweet Tooth (Imagem: Reprodução/DC Comics)

Foi este contato de Louis com os caixões que resultou no primeiro surto do vírus na comunidade local. Tanto é que o filho que Louis teve com a habitante local já nasceu híbrido. O surto maior, que causou o Grande Flagelo no mundo inteiro, aconteceu depois de os laboratórios Fort Smith visitarem as tais cavernas e realizarem uma série de experimentos com os cadáveres. Esse segundo contato soltou o vírus H5G9 no mundo, dando origem ao Grande Flagelo e à destruição da sociedade como a conhecemos.

Relação entre os híbridos e o Grande Flagelo

Publicidade

Publicidade

O surgimento dos híbridos tem uma relação direta e óbvia com o Grande Flagelo. Tanto é que, como vimos, o filho de Louis nasceu um híbrido justamente após ele ter tido contato com a caverna sagrada — e com o vírus conhecido como H5G9.

Nas histórias em quadrinhos, o Grande Flagelo é tratado como uma punição divina. Tanto é que, no final da saga, Gus, considerado como uma encarnação do deus Tekkeitsertok — inclusive por ser um híbrido de humano e cervo, como o deus fora —, vive tempo o suficiente para ver o declínio completo da humanidade, que acabou sendo totalmente substituída pelos híbridos.

Wendy, uma das híbridas de Sweet Tooth, ainda bebê (imagem: Reprodução/Netflix)
Wendy, uma das híbridas de Sweet Tooth, ainda bebê (imagem: Reprodução/Netflix)

Entretanto, a série da Netflix dificilmente seguirá por este mesmo caminho. Primeiro porque uma série retratando um vírus que dizima toda a raça humana certamente não cairia bem nos dias de hoje, já que estamos no meio de uma pandemia causada por um vírus que já vitimou milhões de contaminados. Segundo porque a série já tomou vários caminhos diferentes em relação aos quadrinhos, como já mostramos nesta outra matéria do Sobre Sagas, inclusive adotando um tom bem mais leve.

 

E aí, gostou de conhecer a origem do Grande Flagelo em Sweet Tooth? Acha que a Netflix seguirá o mesmo caminho dos quadrinhos? Acredita que Gus é realmente uma reencarnação do deus Tekkeitsertok? Pois conta para a gente aí nos comentários!

Publicidade

Publicidade

Além disso, fique sempre ligado(a) aqui no Sobre Sagas para mais matérias e notícias sobre suas séries e filmes favoritos, inclusive sobre Sweet Tooth e outras produções da Netflix!

Fontes: DC Fandom,  Digital Spy e Netflix

Redator e revisor da WebGo Content, graduado em Letras – Português/Inglês pela PUCPR. Tem experiência com redação e revisão de textos para Web. Gosta de poesia, literatura, cinema, televisão e gatos.

Deixe seu comentário