Saltburn: entenda a bizarra e polêmica “cena da banheira” que chocou o público

Saltburn é um drama psicológico de comédia ácida que tem causado um burburinho infinito entre o público e críticos da Amazon Prime pela chamada “cena da banheira” que transitou entre o bizarro e a depressão de forma questionável.

A direção afiada de Emerald Fennell convida os espectadores a uma jornada pelos temas perturbadores do desejo, da riqueza e da obsessão, resultando na estranha sequência da banheira, que não se destina somente a chocar, mas a servir de catalisador a uma narrativa penetrante e multifacetada.

Enredo de “Saltburn”

Saltburn cena da banheira

O cenário acadêmico elitista de Oxford é o pano de fundo para a complicada (e bizarra) trama de Saltburn, onde acompanhamos a odisséia emocional de Oliver Quick (Barry Keoghan).

O estudante, que inicialmente parece nada além de um excluído social na faculdade, encontra na personificação da popularidade e do carisma do seu amigo Felix (Jacob Elordi), um verdadeiro espelho para seus anseios mais profundos.

O convite para visitar a propriedade da família estranha de Felix, acaba realmente revelando as diversas camadas que moldaram o carácter de Oliver ao longo dos anos, a medida que o interesse pelo amigo vai se mostrando muito mais complexo do que a visível “paixão platônica” que ele demonstra desde o início.

Em meio a tensões crescentes e relações interpessoais nebulosas, Saltburn faz uso de sua ousada estética fílmica para mergulhar em um abismo de sentimentos humanos sombrios e polêmicos.

A Polêmica Cena da Banheira Explicada

Dentre as várias cenas chocantes de Saltburn, aquela que ficou conhecida como “cena da banheira” na internet, fica em um pedestal perturbador, tanto pela intensidade visual quanto pelo peso simbólico.

Oliver, em um ato de desejo visceral por Felix, bebe a água da banheira onde o amigo acabou de tomar banho, e inclusive, havia acabado de dar prazer a si mesmo. Este momento perturbador é uma clara representação da obsessão de Oliver, que, permeada por um misto de adoração e inveja, o leva a extremos emocionais e comportamentais controversos (e nojentos, convenhamos) como esse.

O conflito interno de Oliver já é demonstrado logo no início do filme, quando ele mente sobre a morte do pai, num esforço desesperado de manter a atenção de Felix, que está prestes a romper a amizade. Essa decisão mostra o quanto a necessidade de conexão e a busca por aceitação podem distorcer a realidade e os princípios morais de um indivíduo.

Oliver sabe que jamais poderá ser visto por Felix da forma como gostaria, e que não importa o que faça, o homem que ele deseja com todas as forças, jamais irá notá-lo de verdade, considerá-lo realmente como alguém a ser levado à sério. Assim, é como se Oliver soubesse que “a água do banho” é o mais próximo e íntimo que ele estará de Felix, e esse prazer bizarro apenas alimenta ainda mais os sentimentos controversos e ressentimento que carrega pelo amigo rico.

A teia de sentimentos de Oliver é confusa e perturbadora, e a cena da banheira em questão é só uma das demonstrações bizarras de como sua obsessão por Felix torna-se algo totalmente fora de controle. Além disso, a passagem meio que prepara o espectador para o fatídico momento em que Oliver confessa não somente o seu amor, mas também o ódio que nutre por Felix e sua família, e por tudo o que eles representam: ou seja, tudo o que ele deseja, mas jamais poderia ser.

Bizarra ou polêmica, a verdade é que essa cena foi um dos motivos para todos os comentários que fizeram de Saltburn um dos filmes mais falados de 2023.

E você? O que achou do filme? Conta pra gente aqui nos comentários.

CONFIRA Também: Conspiração Terrorista: Tudo o que você precisa saber do filme no Top 10 da Netflix

Aline ResendeFormada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.
Instagram
Fechar