Esquadrão Suicida | O que deve ser melhor na versão de James Gunn

O "Esquadrão Suicida" de James Gunn estreia na próxima quinta-feira dia 5 e aqui você confere tudo o que deve ser corrigido nessa versão.

Publicidade

Publicidade

O reboot de “Esquadrão Suicida” estreia no próximo dia 5 de agosto, e apesar de sabermos que nessa reinicialização da história, praticamente tudo deve ser diferente em comparação ao filme de 2016, vamos pontuar as principais coisas  em que o filme de James Gunn deve ser melhor que a primeira versão dos vilões lançada no cinema.

Apesar de muita gente considerar o primeiro Esquadrão Suicida um filme divertido, a obra passou longe de se tornar um filme memorável. Muito disso, se deve as inconsistências do roteiro, que tempos depois ficamos sabendo que foi construído em apenas 6 semanada devido a um prazo absurdo que a Warner Bros. deu ao então diretor David Ayer. 

Publicidade

Então, para fazer um esquenta para a estreia do novo filme do Esquadrão, agora com James Gunn no comando, vamos listar tudo o que deve ser melhorado na nova versão.

Publicidade

Desenvolvimento de Personagens

esquadrão suicida james gunn

Não é segredo para ninguém que na primeira versão do filme, o foco ficou o tempo todo na Arlequina de Margot Robbie e no Pistoleiro de Will Smith. 

Publicidade

Publicidade

Isso até não seria um problema se os outros personagens da equipe tivessem sido um pouco mais desenvolvidos, mas o que vimos foi praticamente a transformação do resto do Esquadrão em mero elenco de apoio.

Então, o que veremos mais na versão de James Gunn é um trabalho mais homogêneo dos vilões e, segundo a própria Margot Robbie, seu personagem dessa vez não tem o protagonismo do filme (o que ela achou ótimo). A atriz relatou em entrevista ao ScreenRant que James decidiu dar pelo menos um momento de destaque para cada membro do Esquadrão, explorando o potencial de cada um.

Um vilão compatível com as habilidades do Esquadrão Suicida

starro esquadrão suicida james gunn

Uma das coisas que mais irritou os fãs dos quadrinhos do Esquadrão Suicida e a crítica especializada foi a escolha do vilão do filme de 2016. Isso porque, as habilidades dos membros da equipe simplesmente não condiziam com todo o poder avassalador que a vilã Magia representava.

Para entender melhor, nos quadrinhos o Esquadrão Suicida é escalado para conter ameaças de menor risco, dificilmente representando ameaças globais, porém, que podem fazer um grande estrago em menor escala.

No novo Esquadrão Suicida temos o vilão Starro, uma estrela-do-mar gigante e alienígena que nos quadrinhos pode controlar a mente de outros seres ao liberar partes de seu corpo. Apesar de ser um vilão poderoso e com aspirações para o domínio do planeta, sem dúvidas a lógica de que ele pode ser derrotado por membros da equipe de vilões é maior que o potencial universalmente destrutivo da vilã Magia  do filme de 2016.

Violência digna de um filme de vilões

Publicidade

Publicidade

Se estamos falando de um filme de vilões chefiados por uma das mentes mais implacáveis (e até meio sádica) do governo (Amanda Waller) qual o sentido da obra não ter sangue e lutas dignas de vilões?

Pois outro problema da primeira versão do Esquadrão de 2016 foi esse, a classificação indicativa do filme acabou empatando todo o potencial violento do filme.

Com uma classificação indicativa +18 essa é outra coisa que o reboot deve corrigir, com tiroteios e lutas muito mais dignas das HQs, com sangue e violência na medida certa para tornar a obra mais empolgante e mais propícia para a história de criminosos renegados.

Mortes de personagens

Claro que o apego a personagens faz com que suas mortes sejam momentos difíceis de serem assistidos, mas considerando que a principal ideia do Esquadrão Suicida é a reunião de criminosos dispensáveis que podem reparar um pouco de seus atos morrendo em campo por seu país, qual a lógica de todos os membros permanecerem vivos?

James Gunn já deixou claro que, assim como nas HQs, seu filme traz mortes de personagens importantes, completando mais um arco necessário para uma história como essa. Por tanto, prepare os lenços porque seu personagem preferido pode acabar morrendo até o final do filme.

Coringa desnecessário

Publicidade

Publicidade

Talvez a maior melhoria do novo Esquadrão Suicida seja a exclusão completa do Coringa que não teve a menor relevância no filme de 2016 e só serviu para dar uma imagem ruim ao personagem e a Jared Leto.

Gunn fez questão de informar que a retomada do personagem nunca esteve em seus planos, especialmente após seu vínculo com Arlequina ter sido completamente cortado no filme solo da vilã “Aves de Rapina.

Sendo assim, na nova obra o espectador não vai precisar se preocupar em ser distraído da missão principal da equipe com a aparição do infame palhaço apenas para fazer um Clickbait no filme.

CONFIRA Também:

ESQUADRÃO SUICIDA | Warner Bros. divulga primeiro trailer do filme

Publicidade

Publicidade

E então, ansioso para conferir o novo filme do “Esquadrão Suicida” com as melhorias de James Gunn? Conta para a gente qual delas você está mais animado para conferir aqui ou nas redes sociais do Sobre Sagas.

Formada em Marketing e pós graduanda do curso de Língua Portuguesa e Literatura. Trabalha na área de comunicação como Criadora de Conteúdo além de fazer trabalhos de atuação e locução para materiais em vídeo. Pseudo-cinéfila e apaixonada por todo universo Geek.

Deixe seu comentário