DISNEY+ STAR | Tudo que já sabemos sobre o novo streaming da Disney

Novo streaming da Disney promete conteúdos da Fox e Hulu voltados para adultos. Saiba mais sobre preços, datas e catálogo.

Na última semana, a The Walt Disney Company registrou no facebook, instagram e twitter contas verificadas do serviço Disney+ Star, novo streaming da companhia. Desde então, muitos fãs das produções Disney tem se questionado sobre o que será o serviço, quais títulos estarão disponíveis, entre outras questões. Para te informar sobre tudo o que já sabemos, compilamos todo o conteúdo na sequência.

Disney+ Star: O que é o serviço?

Quando lançado no Brasil, muitos usuários do Disney+ se questionaram sobre as produções ausentes no catálogo, estando algumas delas presentes no catálogo norte-americano e outras nem lá. A ausência destes, em alguns casos, é justificada pelo público-alvo da plataforma: o Disney+ é um serviço de streaming Family Friendly (familiarmente amigável), o que significa que seu conteúdo são – na maioria das vezes – indicados para todas as faixas etárias. É por isso que dificilmente encontraremos obras recomendadas para maiores de 14 anos na plataforma.

E é exatamente dessa restrição que surge o Disney+ Star. No Brasil, a plataforma deve atuar de forma semelhante ao que é o Hulu nos Estados Unidos: além do conteúdo amigável, também contará com produções originais e licenciadas para adultos. É o caso de Deadpool, por exemplo, que pertence ao grupo Marvel e não está disponível na plataforma tradicional. O que ainda não sabemos é se no Brasil o serviço funcionará como uma seção dentro do próprio Disney+ ou se será adquirido à parte pelos pretendentes.

CONFIRA Também: LISTA | 10 títulos disponíveis no Disney+ norte-americano que fazem falta no Brasil

O que estará disponível no catálogo?

Nos Estados Unidos, a Disney tem utilizado da plataforma Hulu para distribuir os conteúdos adultos da Fox e do seu grupo de mídia. Além disso, a própria Hulu tem uma série de conteúdos originais cujas recomendações etárias permeiam entre todos os públicos. As séries “Pequenos Incêndios por Toda Parte” (Little Fires Everywhere), “The Handmaid’s Tale“, “Love, Victor“e “Quem é você, Alasca?” ganham destaque entre elas.

Além do conteúdo produzido pela Hulu, a plataforma veicula episódios semanais de diversas séries do canal ABC, como “Grey’s Anatomy“, “The Good Doctor” e “Station 19“. As séries já concluídas do canal, como “Revenge“, “Private Practice“, “Lost” e “Scandal” também estão disponíveis. As produções dos estúdios Fox devem marcar presença com as temporadas de “Os Simpsons“, a franquia “Allien“, o spin-offLogan“, as comédias “Deadpool” e outros conteúdos para adultos da produtora.

Há previsões para a chegada da plataforma?

Hoje já podemos dizer que o lançamento do streaming está confirmado, mas ainda é muito cedo para dizer quando ele irá chegar. Em entrevista ao portal Na Telinha, a Juliana Oliveira, chefe de Estratégia e Desenvolvimento de Negócios da Disney na América Latina, disse no último dia 11: “Bob Chapek, nosso CEO mundial, já compartilhou que, enquanto nos Estados Unidos temos o Hulu, mundialmente nossa plataforma focada em entretenimento será o Star Plus. E, no futuro, a gente poderá compartilhar mais informações sobre esse lançamento. No momento, nosso grande foco está no lançamento do Disney+“.

Os perfis do Disney+ Star no instagram e no twitter exibem apenas as mensagens “Coming Soon” (em breve) nas suas biografias, o que nos leva à acreditar que a plataforma não irá demorar muito a ser lançada.  Rumores indicam que o anúncio oficial do lançamento ocorrerá durante o Investor Day, evento em que o grupo Disney apresenta e discute seus novos projetos com os investidores. Apenas na última edição do evento, foram confirmadas as produções das séries WandaVision“, “The Falcon and The Winter Soldier” e “Loki“, ligadas ao universo Marvel. Neste ano, o mesmo ocorrerá no dia 10 de Dezembro.

Quais seriam os valores?

A Disney ainda não divulgou nada oficial sobre os valores a serem praticados, mas levando em consideração o conteúdo e o direcionamento do streaming, é possível dizer que os preços devem se aproximar aos aplicados pela Hulu nos Estados Unidos.

Lá, a mensalidade do streaming em sua versão com anúncios custa US$6 (R$32,70), enquanto o modelo sem publicidade (Pacote Premium) custa U$12 (R$65,40) por mês. Além disso, há a possibilidade de fechar um pacote onde se tem acesso ao conteúdo Disney+, Hulu e ESPN, cujas mensalidades se fixam em US$13 (R$71).

Dada a improbabilidade do Disney+ fechar parceria com a ESPN no Brasil, o serviço custaria cerca de R$47 em conversão direta. Adaptado à realidade nacional e a competitividade com os demais serviços de streaming, seria plausível acreditar que aqui será possível assinar a plataforma por um valor entre R$35 e R$45 ao mês.

Dito isso, vale ressaltar que as projeções de conteúdo e preço do serviço são apenas estimativas, e podem mudar durante o desenvolvimento do streaming. Então vale esperar novos posicionamentos oficiais e as novidades do Investor Days para darmos nosso veredito sobre a funcionalidade e importância da plataforma.

Arquiteto e Urbanista aficionado por Cenografia e Cinema. Administrador do Sobre Sagas desde 2013 e apaixonado por adaptações cinematográficas, especialmente de fantasia.

Deixe seu comentário