JOHNNY DEPP | Caso do ator é encerrado e justiça confirma acusações de Amber Heard

Caso entre Johnny Depp e Amber Heard é encerrado pela Corte Inglesa que afirma que sua ex-esposa, foi sim vítima de violência doméstica.

Johnny Depp, na tarde de quinta-feira (25), perdeu todos os processos de difamação que movia contra o jornal britânico The Sun após uma matéria publicada pelo News Group Newspapers o ter chamado de “espancador de esposas” . A Corte Inglesa, por sua vez, encerrou o caso e inocentou o jornal depois de três longas semanas de audiência. Os juízes de apelação, James Dingemans e Richard Arnold, concluíram que o julgamento midiático original foi justo e completo e que sua ex-esposa, Amber Heard, foi sim vítima de violência doméstica.

Desde 2016 o ator vem sendo acusado por Amber de violência doméstica e sempre alegou que todas as afirmações e provas da ex-esposa eram falsas. Em novembro de 2020, o juiz Andrew Niccol alegou que o ator agrediu Amber durante o relacionamento vivido pelos dois durante 5 anos, fazendo com que a atriz temesse até pela sua própria vida em algumas ocasiões do relacionamento.

Fotos de Amber Head após ser agredoda por Johnny Depp
Fotos apresentadas por Amber Heard em seu processo de divórcio, em 2016.

O ator recorreu à justiça na semana passada, procurando anular a decisão final do juiz Andrew Niccol, que determinou que o tablóide The Sun estava sendo justo ao chamá-lo de “espancador de esposas” e afirmando que as acusações eram verdadeiras. Ao procurar a justiça, Depp argumentou que o parecer do juiz era simplesmente errado.

Seus advogados disseram ter novos indícios de que a ex-esposa de Depp não foi verdadeira ao alegar ter doado os 7 milhões de dólares recebidos do seu acordo do divórcio com o ator no ano de 2016 para a ACLU (União Americana pelas Liberdades Civis) e também para o CHLA (Hospital Pediátrico de Los Angeles), no qual ela afirmou ter doado.

Segundo o advogado do ator, Andrew Caldecott, Amber contou uma mentira calculada e manipuladora ao fazer promessas que não foram cumpridas. “Se a verdade sobre a alegação de caridade tivesse surgido no julgamento, isso teria afetado materialmente a consideração do juiz sobre os testemunhos da Sra. Heard”, disse o advogado.

Um dos representantes da atriz, depois dessa acusação, informou que a alegação de Depp sobre ter provas novas e importantes para seguir com o processo não eram nada além de estratégias para a mídia, sendo assim, rejeitada pela Corte. “Estamos contentes — mas não surpresos — com a negativa da Corte no pedido de recurso do Sr. Depp. As provas apresentadas no caso do Reino Unido são abundantes e inegáveis”.

O tribunal ouviu acusações e contra-acusações de Johnny e de Amber e informou o veredito final que concluiu que a grande maioria das supostas agressões feitas pelo “senhor Johnny Depp contra a senhora Amber Heard foram provadas”.

A manchete principal do tablóide The Sun em 2018 questionava sobre como Rowling aceitava o “espancador de mulheres” na sua franquia. “Como pode J.K. Rowling estar ‘genuinamente feliz’ ao selecionar o espancador de mulher Johnny Depp no novo ‘Animais Fantásticos’?” Com essa afirmação do jornal, Depp alegou que sua carreira foi ameaçada, pois logo em seguida foi retirado da franquia de Animais Fantásticos no qual interpretava o personagem Gerardo Grindelwald, sendo substituído pelo ator Mads Mikkelsen.

Fonte: Deadline, Independent.

Deixe seu comentário